O controle judicial da execução penal no Brasil: ambiguidades e contradições de uma relação perversa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22197/rbdpp.v4i1.111

Palavras-chave:

controle judicial, execução penal, sistema progressivo, poder disciplinar, condições de aprisionamento.

Resumo

O presente estudo objetiva analisar criticamente o controle judicial da execução penal no Brasil. A partir de três aspectos distintos da execução penal, busca-se expor as ambiguidades e contradições da jurisdicionalização da execução das penas no Brasil, cujo debate doutrinário não tem ido além da natureza jurídica deste campo do direito. Para além do debate acerca da necessidade de um controle judicial da execução penal no Brasil, pretende-se apontar para a complexidade da questão a partir de problemas concretos pouco abordados pelos autores da área. Assim, a análise do controle judicial do sistema progressivo, da questão disciplinar, bem como dos direitos relacionados às condições materiais de aprisionamento permite desvelar graves problemas que a temática engendra, especialmente no que se refere às formas de gestão e controle das pessoas presas, de modo a contribuir com o debate para um campo do direito que carece de aprofundamento científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BIRKBECK, Christopher. Prisiones e internados: una comparación de los establecimientos penales en América del Norte y América Latina. Caderno CRH, Salvador, v. 23, n. 58, 2010. https://doi.org/10.1590/s0103-49792010000100009

CACICEDO, Patrick. A natureza declaratória da decisão de progressão de regime: notas sobre o julgamento do HC 115.254 no Supremo Tribunal Federal. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, v. 124, 2016.

CARVALHO, Salo de. O (Novo) Papel dos “Criminólogos” na Execução Penal: As Alterações Estabelecidas pela Lei 10.792/03. In: CARVALHO, Salo de (Org.). Crítica à Execução Penal. 3º ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

CARVALHO, Salo de. Pena e Garantias. 3. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.

CASTILHO, Ela Wiecko Volkmer de. Controle da legalidade na execução penal: reflexões em torno da jurisdicionalização. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1988.

CINTRA JÚNIOR, Dyrceu Aguiar Dias. A jurisdicionalização do processo de execução penal : o contraditório e a ampla defesa. Revista Brasileira de Ciências Criminais, n. 9, v. 3, 1995.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Mutirão carcerário: raio-x do sistema penitenciário brasileiro. Conselho Nacional de Justiça, 2012. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/images/pesquisas-judiciarias/Publicacoes/mutirao_carcerario.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2017.

FERRAJOLI, Luigi. Jurisdicción y ejecución penal. La cárcel: uma contradicción institucional. Revista Critica y Poder, Barcelona, n. 11, 2016.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência nas prisões. Petrópolis: Vozes, 1999.

GODOI, Rafael. Fluxos em cadeia: as prisões em São Paulo na vidada dos tempos. Tese (Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia, FFLCH, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. https://doi.org/10.11606/t.8.2015.tde-05082015-161338

GRINOVER, Ada Pellegrini; GOMES FILHO, Antonio Magalhães; FERNANDES, Antonio Scarance. A exigência de jurisdicionalização da execução penal. Fascículos de Ciências Penais. n. 3, v. 4, 1991

PAVARINI, Massimo; GIAMBERARDINO, André. Teoria da pena e execução penal: uma introdução crítica. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011.

RIVERA BEIRAS. Iñaki. La cuestión carcelaria: historia, epistemologia, derecho y politica penitenciaria II. Buenos Aires: Editorial del Puerto, 2009.

ROIG, Rodrigo Duque Estrada. Direito e prática histórica da execução penal no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2005.

Downloads

Publicado

07.03.2018

Como Citar

Cacicedo, P. (2018). O controle judicial da execução penal no Brasil: ambiguidades e contradições de uma relação perversa. Revista Brasileira De Direito Processual Penal, 4(1), 413–432. https://doi.org/10.22197/rbdpp.v4i1.111

Edição

Seção

Execução Penal